Guarujá, inclusive, divulgou ano passado, relatório que aponta redução de

34% de adolescentes grávidas, em comparativo feito entre 2017 e 2019

 

Até esta sexta-feira (7), as Unidades de Saúde da Família (Usafas) de Guarujá reforçam às pacientes informações sobre gravidez na adolescência. A iniciativa teve início no último dia 3 na rede municipal e acontece dentro da Semana Nacional de Prevenção à Gravidez na Adolescência, sendo instituída por meio da lei federal 13.798/19, e celebrada anualmente na primeira semana de fevereiro.

 

No último dia 4, a Unidade da Vila Áurea reuniu pacientes e moradores do bairro para orientar acerca das formas de prevenção e planejamento familiar. Ministrada pela Coordenadora da Saúde da Mulher da Prefeitura, Adriana Machado, a atividade aconteceu na Igreja Apostólica Ebenézer. Segundo ela, essas ações com a comunidade têm mostrado resultados. “Com as conversas e orientações nós saímos de um padrão de comportamento, diminuindo cerca de 30% o número de adolescentes grávidas antes dos 18 anos”, afirma.

 

No dia seguinte (5), durante sala de espera, a equipe da Usafa Cidade Atlântica destacou aspectos sobre gravidez não planejada na adolescência. As atividades foram conduzidas pela enfermeira Nathalia Pagani e a psicóloga do Núcleo Ampliado da Saúde da Família, Léa Mara do Nascimento. Segundo Daniela Gregório, gerente da Usafa, “a campanha é uma oportunidade para mostrar os métodos contraceptivos disponíveis nas Unidades”.

 

Na mesma data, a Unidade do Sítio Conceiçãozinha também promoveu encontro com as pacientes. O objetivo foi desenvolver estratégias direcionadas à orientação sobre uso de preservativos e a importância do planejamento familiar. Para a gerente do local, Ana Paula Ramos, os encontros fortalecem a cultura de prevenção e promoção à saúde. “Queremos prevenir a ruptura dos vínculos familiares e fragilidades sociais vivenciadas pelos usuários”.

 

Vale lembrar que, levantamento divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde no ano passado, apontou queda no Município de 34%, no número de nascidos de mães adolescentes, comparando 2017 com 2019. A taxa de nascidos de adolescentes registrada em 2017 era de 15,9, com um total de 707 bebês. Já em outubro de 2019, o número caiu para 13,1, com 467 nascidos.

 

Essa redução é o reflexo das ações oferecidas na rede municipal, a fim de conscientizar a população jovem, como ações e mutirões de prevenção. Um deles, por exemplo, é a inserção do Implanon, contraceptivo feminino que consiste na implantação de um pequeno bastão no braço das pacientes.